COTIDIANO DICAS

Você leva marmita? Dr. Bactéria dá dicas de como conservá-la

27 de fevereiro de 2016

Xiii!!! Estragou!

O maior medo de quem carrega marmita, por opção ou necessidade, é de ter uma surpresa desagradável e perceber que o alimento estragou. Mas, se alguns cuidados forem tomados isso não ocorre. O Dr. Bactéria dá dicas de como proceder.

Liliane Camargo

 

Há alguns anos, carregar marmita era sinônimo de falta de opção. Nos últimos tempos, no entanto, essa realidade mudou um pouco. Levar seu próprio alimento virou algo corriqueiro e inclusive ganhou status de comida saudável. Mas, seja para quem faz dieta restritiva por questões de saúde (alergias, intolerâncias, diabetes, pressão alta entre outras), ou buscando bem-estar, um receio é comum a todos: ser surpreendido e descobrir que a comida estragou. O biomédico Roberto Martins Figueiredo, conhecido como Dr. Bactéria, explica que é preciso conhecer o material da bolsa que está utilizando para transportar a marmita. “Temos dois tipo de lancheiras, uma chamada não térmica, geralmente feita de um tipo de plástico duro, que deve ser usada para alimentos não perecíveis. Isto é, somente os que são conservados a temperatura ambiente, como bolos, salgadinhos, biscoitos, torradas, sucos e achocolatados em caixinha longa vida, frutas inteiras, etc. O outro tipo é o chamado lancheira térmica, (tipo almofadada). Mas, neste caso, deve vir acompanhado de um doador de frio”. Ele, no entanto faz uma ressalva: “o ideal é não usar gelo, pois este derrete e pode aumentar as chances de contaminação dos alimentos”. O Dr. Bactéria, explica que há no mercado produtos em gel congelante que prometem manter por até 8 horas a temperatura dos alimentos. E faz um último alerta: “Não utilizar estes doadores de frio é a mesma coisa que tirar a tomada de sua geladeira”.

 

Veja outras dicas importantes do Dr. Roberto Martins Figueiredo, o Dr. Bactéria:

 

  • Fique sempre atento quanto ao tempo máximo que um alimento pode ficar sem refrigeração. Alimentos perecíveis não podem ultrapassar 2h, numa temperatura variável entre 4º e 60ºC. Numa geladeira, estes mesmos alimentos podem permanecer em média de 3 a 5 dias.
  • Investir numa boa lancheira com um bom doador de frio (caixinhas plásticas com gel) para transporte da marmita minimiza os riscos de doenças veiculadas por alimentos, cujos sintomas vão desde a diarreia, vômitos entre outros sintomas, que podem inclusive acarretar em complicações mais severas.
  • Evite colocar gelo junto às marmitas. Mesmo envolvidos em plásticos, ele derrete e a água resultante pode contaminar os alimentos.
  • Cuidado ao transportar alimentos perecíveis, mas uma atenção especial para os que possuem molhos, como strogonoff, carnes, frangos e peixes ensopados.
  • Armazene nas lancheiras os alimentos em caixas plásticas (isentas de bisfenol A – normalmente vem sinalizado na embalagem com a sigla Bpa-Free) individuais e separadas por grupos.
  • A lancheira precisa conter doador de frio suficientes para a quantidade de alimentos que deve manter sob refrigeração.
  • Por fim, não deixe de higienizar a bolsa térmica. Utilize sempre água, detergente, esponjas macias e imersão em solução clorada (2 colheres de sopa de água sanitária por litro de água) por 10 minutos.

You Might Also Like

2 Comentários

  • Reply Tainara M. Carvalho 28 de fevereiro de 2016 at 20:11

    Que matéria bacana Babi!!! Muito deliciosa de ler, de fácil entendimento. Parabéns pelo site, pela iniciativa!!! Estou muito feliz por ter uma amiga de sala como você.

    • Reply Barbara 1 de março de 2016 at 01:00

      Obrigada pelo carinho, Tainara! :-*

    Leave a Reply