DICAS

Vinho vegano? Proteína do leite e do ovo no vinho? Como assim?

4 de janeiro de 2017

Pode parecer estranho falar de vinho vegano, não é mesmo? Afinal, o vinho é feito com… uvas.
Porém, no processo de fabricação do vinho, ele passa por diversas etapas e é aqui que está o x da questão.

Algumas impurezas que acompanham o vinho recém fermentado depositam-se naturalmente no fundo do recipiente onde o vinho está descansando. Para facilitar a precipitação dessas impurezas (que pode ser pedaços de cascas ou de sementes de uvas, por exemplo) o vinho pode passar por um processo chamado clarificação, que consiste em retirar as impurezas do vinho e dar aquela aparência límpida apreciada durante a degustação.

Este processo pode ocorrer de duas maneiras: por sedimentação natural das partículas em suspensão ou por adição de produtos clarificantes, num processo chamado de “colagem”: adiciona-se ao vinho uma substância, cuja função é se juntar às impurezas em suspensão até que estas atinjam um peso suficiente para se precipitar.
As substâncias mais utilizadas na clarificação são a caseína (proteína do leite), a clara de ovo e a betonite (uma mistura de argilas). Pode-se também utilizar centrífugas para acelerar o processo de clarificação, principalmente quando o objetivo é fabricar vinhos mais simples, destinados ao consumo imediato (ou seja: nem todo vinho fica melhor depois de guardado por muito tempo!)

Muitas vinícolas tradicionais da região de Bordeaux, na França, utilizam a clara de ovo no processo de clarificação.
Algumas vinícolas destinam sua produção a vinhos kosher, seguindo os preceitos da religião judaica, onde não é permitida a utilização de nenhum produto de origem animal nas etapas de fabricação dos vinhos. Algumas vinícolas israelenses são exemplo.

Você pode estar pensando: mas era só o que faltava! Vou ter que olhar os rótulos dos vinhos também?

Bem… nos países do Mercosul não existe acordo que obrigue as vinícolas a informar qual o clarificante utilizado na produção dos seus vinhos. Com relação às vinícolas brasileiras, a única que respondeu ao nosso questionamento foi a vinícola Miolo, que utiliza clarificante exclusivamente de origem mineral (betonite) em todos os seus vinhos. Ou seja: temos uma vinícola brasileira fabricante de vinhos veganos e seguros para alérgicos a leite e a ovo!

Com relação aos vinhos europeus, estes são obrigados a rotular a utilização de clarificantes à base de caseína e clara de ovo em todos os vinhos a partir da safra de 2012.

Em caso de restrição a leite, ovo, ou alimentação vegana, escolha seu rótulo com cuidado e aproveite para brindar com quem você gosta!

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply