COTIDIANO

Fiz do Limão uma Limonada – #2 – Belly Gourmet – Aline Moreira

23 de dezembro de 2015

Conheça o segundo episódio do Projeto “Fiz do Limão uma Limonada”, com a empresária Aline Moreira de Lima, da Belly Gourmet, nossa parceira. Já falamos sobre os produtos deles nesta resenha aqui, e agora a gente vai conhecer a história que inspirou esse lugar que eu amo tomar café e que minhas filhas transitam com tranquilidade total.

 

 

Olá, meu nome é Aline, tenho 41 anos, sou mãe de 3 filhos, dentista de formação (exerci 8 anos) e empresária por escolha. Na minha casa, convivemos com múltiplas alergias e restrições alimentares.

Eu sou celíaca e intolerante a lactose, minha filha mais nova é alérgica a leite, ovo e era intolerante a soja. Os mais velhos, gêmeos, hoje com 10 anos, também tinham alergia a leite.

Meus primeiros sintomas foram ainda criança com dermatites e mais dermatites, e alergia com milho, farelo de arroz, aveia……Difícil encontrar palavras para descrever o quanto sofria com as dermatites. Todos os tratamentos foram tentados: de simpatia à homeopatia. Os sintomas mudaram com a idade: intestino mega constipado, deficiência de ferro, fluxo menstrual irregular, depressão, distensão abdominal durante a última gestação e um quadro de desidratação e desnutrição.

Na Sofia, os sintomas foram coceira nos olhos, refluxo e irritabilidade. Hoje ela ainda carrega a intolerância a lactose, quando ingere por período prolongado, vários dias seguidos, começa a acumular secreção e a reclamar de dor de cabeça e nariz congestionado para dormir. Ela desde o inicio começou com o leite de soja e hoje preparo o leite de coco.

No Rafael, os sintomas eram vômitos esporádicos que foram diminuindo seu intervalo até ficar quase que diário e com 1 ano ser diagnosticado a alergia a leite. Ele teve um quadro de diarreia com assadura grave, mas nada de sintomas clássicos de diarreia. O exame dele foi feito por acaso, já que íamos fazer exames de rotina com um ano e íamos fazer o teste do leite e ovo com sua irmã gêmea, optamos por fazer nele também. O interessante foi que sua dosagem eram maior que da irmã que apresentava mais sintomas.

Agora é a vez da Rebecca, por nós, eu e ela, desenvolvi diversas receitas. Ela tinha um certo desconforto gástrico e tinha quadros de otites por repetição que para os médicos eram decorrentes do refluxo e da rotina do berçário. Então começamos a tratar refluxo. A cada ida ao hospital com crises de vômito e otites, aumentavam a dose dos remédios de refluxo. Até que, por volta de seus 10 meses, cheguei a uma abençoada gastropediatra, dra Karen Ponceano Nunes, que vendo a quantidade de medicamento e a frequência de antibióticos que ela vinha tomando e a frequência das otites suspeitou das alergias alimentares e solicitou os exames. Foram várias tentativas de leite até optarmos pelo Neocate e em conjunto com a suspensão do leite, ovo e a soja da dieta da minha dieta e dela para alcançar assim o bem estar da Rebecca.

Meu diagnóstico foi realizado somente aos 38 anos, após ter passado um susto com uma gestação gemelar atípica. Um embrião se desenvolveu no útero e outro ficou na trompa dificultando o diagnóstico. Até que rompeu a trompa, tive hemorragia interna e fui para o hospital com risco de morte. Passado o susto e o risco de aborto do embrião que estava no útero, veio a suspeita de desenvolver diabete gestacional devido uma distensão abdominal durante a gestação, fazendo o médico passar a gestação toda acompanhando a glicose.

Após o parto, tive diarreia crônica de 3 meses, emagreci 12 quilos, tive depressão e após ingestão de esfirra, desencadeou uma crise de vômitos até a desidratação. Eu sempre fui justificando o mal estar pela mudanças hormonais e hábitos alimentares. Eu era vegetariana e havia voltado a comer carne, estava tomando leite, não tinha hábito de tomar e assim vão as justificativas.

Após um ano relutando para aceitar a doença celíaca comecei a participar de congressos para me aprofundar nos sinais e sintomas das doenças celíaca e alergias alimentares. Aprendi sobre as doenças silenciosas que surgem em decorrência da contaminação cruzada e como vão sobrecarregando os órgãos. Com tanta informação, comecei a ver quantas pessoas sofrem com diagnóstico errado, e fazem uma peregrinação de médicos até conseguirem um diagnóstico. Despertava em mim um desejo de ajudar mais pessoas, de encurtar a distância entre os sintomas e o diagnóstico. Analisei os expositores e diante da minha realidade e necessidade comecei a visualizar uma oportunidade de negócio. Nos congressos comecei a ter contato com as estatísticas de alérgicos, celíacos, intolerantes e simpatizantes com alimentação saudável.

Fiz pesquisas, participei de cursos e palestras voltados a abertura de novos negócios e elaborei meu plano de negócio. Fui ao SEBRAE, fiz consultorias , participei do Startup Weekend em São José do Rio Preto até decidir abrir a Belly Gourmet – espaço Gluten Free.

Meu objetivo é: proporcionar Sabor, Saúde e Bem Estar; contribuir para a praticidade e inclusão das pessoas; produzir alimentos livre dos alergênicos glúten, leite, ovos e soja do com preço justo para que todos tenham acesso. Servimos coffee break, kit festas, cestas de produtos semanais, além de alguns workshops. Nosso cardápio é diversificado e amplo: coxinhas, esfirras, bolos confeitados, mini bolos, pães, sanduíches, brigadeiros, beijinhos, cupcakes, tortas, panetones, chocotones…….

Uma mistura de alegria e realização invadem meu ser ao poder contribuir para que mais pessoas tenham acesso a informação e alimentação segura. Sinto uma enorme satisfação em contribuir para encurtar o caminho entre sofrimento e tratamento que me faz criar coragem para superar os obstáculos do dia a dia. A alegria em ver a expressão dos nossos clientes em sentirem acolhidos e aceitos, sem ser tratados como chatos por ficarem questionando sobre os ingredientes das receitas.

É muito importante o diagnóstico correto quando o assunto é doença celíaca, porque se for celíaco a restrição não basta ser retirando apenas os alimentos: é importante se atentar a contaminação cruzada. No caso de alergia a reação geralmente é imediata. A melhor forma de superar as dificuldades é procurar informação.

Coragem, persistência e consciência são fundamentais para quem quer empreender ou desenvolver projetos nesta área. A Belly Gourmet completou um ano, e nossos produtos podem ser encontrados em alguns pontos importantes de São José do Rio Preto/SP e região: Panificadora Zappa’s, Mundo Verde, Moinho Natural, Empório Natural (Votuporanga) e em 2016 algumas parcerias estão sendo abertas nas cidades de Barretos e Iturama.

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply Cristina Granado 28 de dezembro de 2015 at 13:21

    Parabéns e sucesso!!!

  • Leave a Reply