COTIDIANO SEM GLUTEN

Doença Celíaca: 9 questões que você precisa saber

4 de maio de 2017
familia

Você sabe o que é a doença celíaca? Quais os sintomas? Os cuidados necessários?

Entrevistamos a Dra. Lucélia Costa, nutricionista, fisioterapeuta, terapeuta Ortobiomolecular e vice-presidente e conselheira da Fenacelbra (Federação Nacional das Associações de Celíacos do Brasil), que respondeu a estas e outras questões fundamentais para compreender a doença celíaca.

 

FOTO LUCELIA

Dra. Lucélia Costa

 

1 – O que é a doença celíaca?

Lucélia Costa – Desordem sistêmica autoimune, desencadeada pela ingestão de glúten. É caracterizada pela inflamação crônica da mucosa do intestino delgado que pode resultar na atrofia das vilosidades intestinais, com conseqüente má absorção intestinal e suas manifestações clínicas. O glúten é uma proteína que está presente nos seguintes alimentos: trigo aveia, centeio, cevada e malte.

A doença celíaca ocorre em pessoas com tendência genética à doença. geralmente aparece na infância, nas crianças entre 1 e 3 anos, mas pode surgir em qualquer idade, inclusive nas pessoas adultas.

 

2 – Quais são os sinais de alerta do corpo que podem indicar doença celíaca?

Lucélia – São mais de 300 sintomas já relatados na literatura médica. Os mais comuns são anemia persistente, diarreia crônica, prisão de ventre, distensão abdominal, enxaqueca, infertilidade inexplicada, queda de cabelo, fadiga crônica, labirintite, neuropatia, falta de apetite, vômitos, emagrecimento, obesidade, alteração de humor, irritabilidade ou desânimo, dor abdominal, osteopenia, osteoporose.

 

3 – Como é feito o diagnóstico?

Lucélia – Os exames de sangue são muito utilizados na detecção da doença celíaca. Os exames de anti-transglutaminase tecidular (AAT) e do anticorpo anti-endomísio (AAE) são altamente precisos e confiáveis, mas insuficientes para um diagnóstico. A doença celíaca deve ser confirmada encontrando-se certas mudanças nos vilos que revestem a parede do intestino delgado. Para ver essas mudanças, uma amostra de tecido do intestino delgado é colhida através de um procedimento chamado endoscopia com biópsia (um instrumento flexível como uma sonda é inserido através da boca, passa pela garganta e pelo estômago, e chega ao intestino delgado para obter pequenas amostras de tecido.

 

4 – Qual é o tratamento? Tem cura?

Lucélia – O único tratamento é uma alimentação sem glúten por toda a vida. A pessoa que tem a doença celíaca nunca poderá consumir alimentos que contenham trigo, aveia, centeio, cevada e malte ou os seus derivados (farinha de trigo, pão, farinha de rosca, macarrão, bolachas, biscoitos, bolos e outros). A doença celíaca pode levar à morte se não for tratada. Não tem cura.

 

5 – Os profissionais de saúde estão preparados para lidar com um paciente celíaco?

Lucélia – A doença celíaca é pouco estudada durante a formação dos profissionais de saúde. Temos poucos médicos no Brasil atualizados e preparados para fazer o diagnóstico e o acompanhamento do celíaco.

 

6 – Quais são as principais dificuldades enfrentadas por um celíaco?

Lucélia – Primeiro é conseguir fechar um diagnóstico. Geralmente leva uma média de 5 anos para conseguir que algum profissional teste essa hipótese diagnóstica, principalmente em adultos.

A compreensão dos familiares sobre a necessidade de uma dieta rigorosa é outra dificuldade.

Também a alimentação fora do lar seja na vida social ou na vida laboral. São poucos lugares que servem refeições seguras. Mesmo em hospitais os celíacos frequentemente não tem sua necessidade dietética atendida.

 

7 – Muitas pessoas acreditam que não ingerir os alimentos proibidos é o suficiente, mas tem a contaminação cruzada e o cuidado com produtos de higiene pessoal e cosméticos, por exemplo. Quais são os cuidados necessários nesse sentido?

Lucélia – Para manter o organismo bem o celíaco deve evitar todo o contato com esta proteína. A contaminação cruzada é um grande inimigo pois é invisível e está em todo lugar, seja nas cozinhas ou em atividades da vida diária.

Saber como evitar e como proceder é vital para a saúde do celíaco.

Evitar cosméticos e produtos de higiene que tenham glúten na composição é um comportamento de precaução do celíaco. Existem no mercado produtos sem esta proteína e podemos escolher não ficar expostos a ela.

 

8 – Sabemos que o ato de se alimentar é uma manifestação sociocultural. De que forma o celíaco pode ser incluído no convívio social?

Lucélia – Quanto mais as pessoas falarem da sua condição e como podem ser incluídas melhor será para o convívio social. As soluções devem vir do próprio celíaco sobre como preparar o seu alimento ou onde comprar e como servir. Excluir sem nem tentar tem sido a tônica mas precisamos mudar esta realidade.

 

9 – O que os familiares e amigos de um celíaco precisam saber?

Lucélia – Principalmente os familiares precisam saber o que é a Doença celíaca, quem pode ter, como se trata. Sobre a dieta sem glúten é preciso ter em mente que o celíaco é a principal fonte de informação sobre como ele gerencia e administra sua alimentação. Sem julgar ou tratar com descaso.

You Might Also Like

2 Comentários

  • Reply Aline 4 de maio de 2017 at 09:44

    Excelente conteúdo, super claro, objetivo é esclarecedor. Principalmente para familiares e pessoas que ainda sofrem sem ter seu diagnóstico fechado.

    • Reply Barbara 13 de junho de 2017 at 00:40

      Fico feliz que gostou, Aline! :-*

    Leave a Reply