COTIDIANO

Adeus, Carteira Assinada!

30 de janeiro de 2016

Você curtiu as histórias da nossa série “Fiz do Limão Uma Limonada”? Inspirada na história de pessoas que empreenderam diante da restrição alimentar que enfrentavam, Liliane Camargo foi atrás de especialistas para buscar dicas para quem quer empreender.

 

Texto: Liliane Camargo

Foto: freeimages.com

 

Adeus carteira assinada

Com a crise que assola o Brasil, cada vez mais pessoas deixam de lado a busca por um emprego e se tornam empreendedores. Fazer este negócio dar certo é o desafio.

 

Assim como as personagens da coluna Fiz do Limão uma Limonada, vários brasileiros estão deixando de lado a estabilidade que um emprego com contrato ou carteira assinada lhes proporcionaria para investir em negócios próprios. A crise econômica do país tem contribuído com este novo perfil. Porém, essa característica do brasileiro não é nova. Pelo contrário, muitos como nos casos retratados na coluna do site Sabor Sem Limite, acabaram se vendo, por força das circunstâncias, compelidos a tomar esta postura. Entretanto, independente dos motivos que levaram a se transformarem em empreendedores, os desafios, são sempre os mesmo e não são menores em comparação ao que era na época em que se trabalhava como funcionário. Como patrão as responsabilidades triplicam e os riscos são maiores. Para o professor doutor em Economia da IBE-FGV e especialista em empreendedorismo, Paulo Ferreira Barbosa, o primeiro desafio deste novo empreendedor é superar a solidão e depois avaliar se está preparado para tomar decisões sobre pressão e se terá habilidade em lidar com fornecedores, clientes, empregados e até o governo. “O mundo dos negócios não é perfeito. Sucesso passado não garante sucesso futuro. E não existe garantia de que a empresa dará certo. Além de muito trabalho e dedicação, o prêmio, ás vezes, é sobreviver às crises”.

 

Segundo Barbosa, planejar adequadamente garante a redução dos riscos do negócio e dá uma dica para que haja chance de dar certo, principalmente na fase de planejamento e implantação. Ele enfatiza que é preciso que o novo empreendedor reveja seu conceito de trabalho. “A pessoa que está iniciando seu negócio não tem experiência, está formando carteira de clientes, desenvolvendo fornecedores, criando história e essas são fases que toda empresa tem que passar. Envolve investimento de tempo e dinheiro, uma situação diferente da vivida anteriormente”. O professor ressalta que desafio da gestão empresarial, neste novo universo é, sem dúvida, uma das provas mais difíceis. “Muitos empreendedores acreditam que para administrar uma empresa que comercializa balas só é necessário gostar de bala. Mas, não é assim. Capital de giro, contabilidade, pagamentos, compras, vendas, ativo e passivo são coisas para pensar, aprender e executar. A dimensão destes itens aumenta ou diminui de acordo com o tamanho do negócio. Não dá para fugir disso”. E finaliza: “Ter uma ideia de negócio não é suficiente. Também é importante que ela seja inovadora. Caso empreender seja seu sonho, realize, A grande sacada é descobrir no que”.

 

A seguir algumas dicas do professor da IBE-FGV, Paulo Ferreira Barbosa e do Sebrae-SP (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, de São Paulo) para quem está pensando em empreender:

  • Verifique o nível de experiência e informação no setor: busque informações no mercado e identifique que oportunidades são viáveis. A escolha da área em que atuar precisa combinar com as suas características pessoais e as tarefas que desenvolve com mais habilidade.
  • Gostar do que faz: Ninguém vai para frente sem paixão pela atividade que exerce. Escolha um ramo de atividade que tenha a ver com você. Vai ser muito mais fácil ser bem-sucedido se você estiver em sintonia com o empreendimento.
  • Cheque se existe mercado amplo e baixa competição: Antes de começar, conheça bem o ramo em que pretende investir. Estude a concorrência, leia artigos de especialistas, faça cursos, vá a eventos e feiras.
  • Analise se é modismo ou não: Confirme se o potencial de rentabilidade é elevado e o investimento inicial reduzido: Saiba quanto vai gastar na abertura e quais serão os custos fixos mensais. Ao calcular o tamanho do investimento inicial, considere o capital de risco e as despesas pessoais.
  • Possui recurso para investir ou depende de terceiros

Pergunte-se se é oportuno realizar agora ou esperar mais um pouco

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply